Pico do Corcovado – 70 anos

Pico do Corcovado – 70 anos

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

O Corcovado de Ubatuba é uma montanha especial na minha vida, faz parte da história da minha família. Tudo começou na década de 70 quando meu tio Victor resolveu desbravar a trilha pela primeira vez com a ajuda de um mateiro da região. O percurso ainda não era totalmente definido e havia muitos trechos de mata fechada. Muitos anos depois, com cerca de 10 anos, no início dos anos 90, eu, meus pais e meus irmãos resolvemos subir com a ajuda de um guia. A expedição foi marcante para todos e desde então essa montanha tornou-se parte de muitas comemorações familiares.

Inicio da trila

Hoje em dia a trilha esta bem mais organizada e é administrada pelo Parque Estadual da Serra do Mar (núcleo de Picinguaba). É necessário entrar em contato com o Parque para agendar a sua subida, pagar o ingresso e assinar um termo de reconhecimento de risco. Não existe um controle na entrada da montanha, mas é importante seguir o processo de agendamento e contactar a administração do Parque. Existem alguns casos de grupos que acabaram se perdendo nessa trilha apesar da boa sinalização. Você pode optar por pernoitar no cume ou fazer um bate – volta no mesmo dia. Durante os feriados a montanha fica bem cheia, com grupos de diversos tamanhos, então é bom se organizar com antecedência.

Grupo do Corcovado

Dessa vez fizemos a subida para comemorar uma data especial na família, os 70 anos da minha mãe. Seria um grupo de 18 pessoas, mas na última hora 3 acabaram desistindo por motivos pessoais. O grupo final foi composto por pessoas em faixas etárias bem distintas, com pessoas de mais de 70 anos e também adolescentes de 14 anos. É uma montanha que tem um grau de exigência física bem alto, por conta do ganho de elevação e da instabilidade do terreno, com muitas raízes de árvores e trechos de barro. O trajeto é como subir ao alto da Serra do Mar e voltar no mesmo dia, de preferência antes do sol sumir e ficar escuro na mata. Por isso resolvemos sair bem cedo e iniciar a caminhada logo às 6:30hs da manhã com os primeiros raios de sol. Dividimos o grupo em 3 para que todos pudessem ir no seu ritmo e não se sentissem prejudicados ou pressionados pelos outros. Algumas das pessoas estavam indo pela primeira vez em uma montanha e não tinham nenhuma vivência anterior em trilhas. Outros já haviam subido diversas vezes e são aventureiros experientes.

Vista da Igrejinha

Fiquei com o pessoal da retaguarda para dar um apoio maior e requisitar ajuda caso fosse necessário. A turma da frente subiu sem grandes problemas e chegou ao cume em cerca de 4 horas, um pouco depois chegou o grupo do meio onde estava a minha mãe. Já o meu grupo sofreu bastante, principalmente as pessoas com mais de 70 anos. Foi necessário manter um trabalho motivacional com o grupo para seguir em frente. Fizemos diversas paradas ao longo da subida e quando finalmente chegamos a crista da montanha, com cerca de 1000 metros de altitude, resolvi que seria o limite para aquele grupo. Todos estavam muito cansados e o horário limite para começar a descida estava se aproximando, pois não seria possível fazer o cume e voltar antes do pôr do sol. Deixei eles esperando em um local com vista bem parecida com a do cume e segui correndo para encontrar os outros grupos no Pico. Após uma breve confraternização e um lanche todos iniciaram a descida e mais uma vez resolvi acompanhar o último grupo para ter certeza que ninguém ficasse para traz.

Cume do Corcovado
Cume do Corcovado – Foto Daniel Aratangy
Vista do cume do Corcovado
Foto – Daniel Aratangy

Os grupos mais uma vez foram se dividindo ao longo do percurso e os primeiros chegaram na base da montanha às 15:30hs. Quando o relógio marcou 16:30hs percebi que não seria possível chegar com meu grupo antes do pôr do sol, então aproveitei os últimos instantes de sinal de celular para avisar as pessoas que estava tudo bem, mas que provavelmente só chegaríamos após às 18hs. Realmente foi o que aconteceu, apesar de todo o esforço não conseguimos manter um ritmo suficiente e tivemos que fazer o trecho final com lanternas ligadas. Como já havia feito essa trilha mais de 20 vezes não tive problemas para me localizar e guiar as pessoas do grupo. Quando finalmente chegamos lá embaixo meu irmão e meu pai me aguardavam com uma recepção calorosa e tudo virou festa. De noite ainda comemoramos o aniversário da minha mãe e da Norma amiga dela. Todos aproveitaram para contar um pouco sobre suas experiências e para tomar muito vinho.

Como chegar na base do Corcovado

O Pico do Corcovado esta localizado em Ubatuba, próximo a Praia Dura. Para chegar de ônibus saindo de São Paulo é necessário comprar uma passagem para Ubatuba e descer em frente a entrada para a Praia Dura. Logo ali tem um hotel na beira da estrada (Hotel Água Doce). Da estrada principal sai uma outra estradinha (estrada do Corcovado), ao lado do mercado praia dura em direção ao sertão, no bairro do Corcovado. São 4km nessa estrada asfaltada que podem ser percorridos com um ônibus local (poucos horários) ou a pé. Na estradinha descer em frente a placa de indicação do Pico do Corcovado e seguir por esse trajeto por cerca de 600 metros até o início da trilha.

Como agendar minha subida

Entre em contato com o Parque Estadual Serra do Mar e faça a sua inscrição. É necessário assinar um termo de responsabilidade e pagar ingresso no caso de pernoite na montanha. Não se esqueça de se preparar fisicamente para a subida que é bem exigente.

O que levar na minha mochila

Para um bate e volta recomendo levar o mínimo de equipamento possível. O peso nessa trilha realmente pode atrapalhar o seu desempenho. Não é necessário uma mochila maior do que 20 litros, comida para um dia de caminhada, 2 litros de água (há pelo menos dois pontos para reabastecimento, o primeiro após 1 hora de caminhada e o segundo já quase na crista da montanha, próximo ao cume também é possível encontra água), um anorak em caso de chuva, um trekking pole (principalmente para ajudar na descida), boné para usar perto do cume, calça e calçados apropriados para trilhas, material para primeiros socorros, lanterna em caso de voltar sem luz, canivete e muita determinação.
Em caso de pernoite é necessário aumentar a mochila e carregar todos os equipamentos de camping, além de comida extra.

Quando devo fazer a expedição

Recomendo fortemente fazer a subida durante os meses de inverno. O Pico do Corcovado esta localizado dentro da Serra do Mar e durante os verões as tempestades com chuvas fortes são constantes e podem tornar o passeio perigoso. Além do que no inverno a probabilidade de conseguir vista limpa lá de cima é muito mais alta. Os melhores meses para a subida são entre os meses de Junho e Agosto. A temperatura lá no cume pode ser baixa, próxima de zero graus, então esteja preparado para o frio.

Clique nesse link para acessar o tracklog da trilha.

Para cima e avante!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest